segunda-feira, 27 de maio de 2013

Cabelos Cacheados: Manual da Usuária

Eu sou cacheada desde criança, aquele cachinho bem fechado, mas do tipo que se desfaz facilmente depois de uma noite deitada no travesseiro. Passei boa parte da vida sofrendo vários preconceitos e não tendo as dicas certas para cuidar bem, e sei que não fui a única a passar por isso. Nesse processo, nós acabamos perdendo um bom tempo usando-os presos, testando produtos que nem sempre dão certo e não os tratando da forma 100% correta, além de acabar valorizando mais intervenções químicas, como o alisamento.

Eu ainda acho cabelos lisos lindos, e tenho grande vontade de alisá-los novamente, porém são procedimentos caros e que em muitos casos nunca duram tanto tempo como foram prometidos, e isso é decepcionante, como se fosse uma Cinderela no final do baile virando abóbora, rs. Tenho quase certeza que um dia vou voltar a ter cabelos lisos, de um jeito ou de outro, até porque sou geminiana e adoro mudar de visual sempre, mas nesse momento  vou aproveitar para compartilhar com vocês teorias que desenvolvi na prática, testando em mim mesma; vamos ver dicas fáceis para cuidarmos melhor e com muito carinho de nossos cachos!

Passo 1 - Entendendo a estrutura do fio


O cabelo cacheado é um tipo de fio que é naturalmente propenso a ser poroso e quebrar com facilidade pois para sustentar as curvas, tem de ser grosso, e isso faz com que ele seja mais sensível a intervenções externas como químicas, produtos de tratamento e cuidados permanentes além de objetos simples do dia a dia como pentes e escovas (que inicialmente parecem inofensivos, mas vamos entender o porque não são mais a frente), pois suas escamas se abrem com mais facilidade. Além de tudo tende a ser mais oleoso na raiz e seco nas pontas pois a oleosidade natural do couro cabeludo (sim, temos uma oleosidade natural para, em tese, manter o cabelo saudável, mas com a ação conjunta de outros produtos e hábitos do dia a dia, isso pode aumentar e gerar probleminhas tão incômodos porém comuns como caspa, por ex.) não consegue "descer" pelos cachos até as pontas, por isso precisamos ter tantos cuidados ao escolher e usar produtos, mesmo os que são adequados para nosso tipo de cabelo.






Passo 2 - Lavando corretamente!

Chegamos numa hora importante e controversa para muitas pessoas, a lavagem. Tem gente que lava demais, de menos, e acaba sempre com cabelos mal tratados, e a resposta nesse caso é uma só: cabelos cacheados NUNCA devem ser lavados mais do que 2 vezes por SEMANA (três no máximo, se estiver aquele verão de 40 graus! rs), e mesmo assim deve haver um espaço de tempo entre uma e outra. Porque? Por que ao lavar você retira a proteção natural para que ele se abra a uma nova química que vai agir e (supostamente) trazer efeitos e melhorias. Se fizer isso mais do que 2 ou 3 vezes, não dará tempo para que os princípios ativos de cada uma ajam corretamente a longo prazo (como hidratações, por ex.), o cabelo não reterá os nutrientes necessários, ficará com as escamas abertas e provavelmente ressecará, ficando fraco ou até mesmo caindo.







A primeira coisa que você deve ter em mente durante todo o ano é: Não vou usar água quente em hipótese alguma, mesmo que esteja aquele frio de cortar! rs, Estou rindo mas é sério, você NÃO PODE FAZER ESSE ATENTADO CAPILAR CONTRA SI MESMA! Nesse post aqui, falei sobre como fazer uma boa hidratação independente do tipo de cabelo, e a regra é clara, a água quente abre demais as escamas, agride, não faz bem a ninguém, isso vai acabar com os seus cabelos, ainda mais sendo cacheados. O correto é água morna para abrir as escamas na hora de receber shampoo e máscara hidratante, depois água quase fria para retirar os dois produtos e por fim aplicar o condicionador que fecha as escamas e dá o toque macio que você precisa pré creme de pentear. E não adianta ter preguiça, ao lavar, HIDRATAÇÃO SEMPRE! O cacho para se manter firme e bonito, de toque macio e aparência brilhosa e com o menos de Frizz possível precisa estar sempre hidratado na medida certa, isso é, sem pesar, o que gera oleosidade.

Passo 3 - Secando e mantendo bonito

Depois de lavar, nada melhor do que ver os cachos arrumados e definidos, não é mesmo? Para obter esse resultado, comece a prestar atenção na forma como os seca ainda com a toalha. Nada de esfregar como se estivesse tirando gordura do fogão, isso é o seu cabelo lindo e maravilhoso que vai emoldurar seu rosto, rs, o segredo é secar com delicadeza, massageando, mas tirando toda a água, sem torcer ou fazer aquele clássico "turbante" de toalha. O importante aqui é deixá-lo molhado porém sem excesso de água, aquela coisa pingando, se precisar usar mais de uma toalha, não hesite, comece de baixo para cima, em direção a raiz. Depois, aplique o creme de pentear ou leave-in em cada mecha, enluvando (isso é, passando com as duas mãos por cima e por baixo, como quem veste uma luva mesmo, dai vem o termo). Ajeite o penteado como quiser inicialmente com as mãos, mas nada de prender (cabelo molhado preso quebra, fica fraco e pode até apodrecer se você fizer isso todos os dias por muito tempo), se achar que algum fio ficou para cima, junto demais ou de alguma forma mal arrumado, use um pente de dentes largos para ajeitar a parte em questão. Passe o reparador de pontas e um pouquinho de silicone na parte de cima se quiser, para abaixar os futuros fiozinhos que podem vir a ficar ao secar, se quiser acelerar esse processo, use um secador com difusor ou a mais ou menos 3 dedos de distância do cabelo, sempre o "amassando" de baixo para cima com as mãos. Claro que não se deve usar secador todas as vezes, mas no inverno, em situações de pressa ou ainda se arrumando para festas e afins, está liberado! ;)

Por fim, cuidem bem de seus cabelos e se quiserem mandar dicas, acessem o Facebook!

Beijo

Fab

terça-feira, 14 de maio de 2013

Etc - Mini e micro weddings, a nova tendência para casamentos!


Quem não gosta de uma festa, e principalmente de celebrar o amor? Hoje aproveito para falar sobre as duas tendências “primas-irmãs” do momento em matéria de casamentos, o mini e (sua versão ainda mais compacta) micro wedding (que nada mais é do que a palavra casamento em inglês).

(Sim, eu vou me casar de All-Star um dia!)


Para entender melhor, ambos os nomes são sinônimos de festas mais intimistas, para poucos e bons convidados, amigos chegados e familiares do casal. Também é o tipo de festa econômica, que dá licença a um tom único e original, com objetos especiais que tenham uma história, os simbolizem juntos, como um abajur ou móvel especial, fotos espalhadas, lembrancinhas e arranjos de mesa mais artesanais, etc.

Caso a festa não se dê de modo tão econômico (o que também é totalmente possível), tende a ser uma ocasião da qual os noivos poderão dar verdadeiramente atenção a todos os convidados, com calma, num clima divertido e tranquilo, sem a clássica pressão de supervisionar a festa inteira e acabar assim não tendo tempo para curtir tudo aquilo que se esmeraram tanto para pagar, escolher e arrumar, de músicas a buffet, passando pela decoração e até mesmo as fotos, que podem muitas vezes acabariam sendo feitas com pressa para que dê tempo para tudo.

Não critico as cerimônias e celebrações de grande porte, essas também são lindas e super divertidas se bem feitas e organizadas, porém podem dar até mais trabalho nesse processo, além de serem um grande investimento que muitos casais não podem/não estão dispostos a arcar; Sendo assim, não se preocupe pois agora que já sabe o princípio de um mini/micro wedding, vamos as dicas e diferenças entre cada um para que possa entender e fazer a melhor escolha!



Mini Wedding





Um casamento para cerca de 70 a 100 convidados, num espaço de tamanho médio (para que não pareça vazio demais), onde pode se levar um juiz de paz/representante da sua religião ou os dois para a celebração, e logo após, dar inicio a festa o que é prático e faz o tempo da festa render muito mais! O buffet pode ser self-service ou com garçons, num menu clássico de antepastos, jantar e sobremesa ou apenas snacks, dos mais clássicos (como canapés, geleia de damasco com queijo brie, carpacio) aos mais modernos, passando até por coisas deliciosamente simples como salgadinhos mesmo (sim, eu estou falando de mini coxinha, kibe e rissole, como nas festinhas de criança, vai dizer que você não adora? Eu AMO! rs). A música pode ser ao vivo ou com DJ, a decoração pode ser feita pelo próprio casal, ou por equipes que já tenham um material pronto. Se não fizer questão de muitos detalhes, opte sempre por flores frescas e de diversos tipos, porém numa carta de cores que “casem” entre si (exemplo, mesclar vários tons de rosa com flores brancas), dará um toque fresco e de bom gosto ao ambiente, além de ocupar espaço de forma suficiente a dar impressão de “casa cheia”. O segredo nesse caso é posiciona-las estrategicamente em grandes porções nos cantos do espaço, além de espalhar pequenos arranjos pelas mesas, e essas deverão estar posicionadas numa distância suficiente para que as pessoas circulem confortavelmente mas reservando espaço para a pista de dança.
Restaurantes e salões de médio porte podem ser ótimas opções de espaço, e no primeiro caso você contará com a praticidade de não ter que pensar tanto nas opções de um buffet completo, podendo escolher as opções da casa. Por fim e não menos importante, a mesa de doces e bolo pode receber um belo exemplar de um Naked Cake e docinhos não caramelados, ou a mesa tradicional, com bolo e docinhos confeitados.





Micro Wedding



Nesse caso, a idéia é uma festa ainda mais low-profile e descontraída, pensada para um número médio de 15 a 65 convidados, em muitos casos pode ser realizada em um apartamento grande, uma pousada, um jardim ou um restaurante que tenha área fechada para festas ou que aceite fechar para eventos privados em determinados dias e horários. As dicas para decoração e disposição do espaço, ainda estão valendo como descrito acima, e no caso do jardim, as flores dispostas em belos vasos grandes que possam ir ao chão, ajudariam a delimitar o espaço da festa. Quanto ao buffet, se ultrapassar a marca de 40 convidados, vale a pena contratar garçons ou uma pequena equipe de apoio para ajudar a organizar uma possível fila no self-service (principalmente no caso de um jantar), mas se o número de convidados for inferior a esse, a melhor opção é usar uma mesa bonita, bem arrumada e enorme para dispor as comidas e bebidas (com apenas algum responsável por reabastecer os pratos/snacks/bebidas quando estiverem acabando) e deixá-los a vontade para se servirem. Os doces e bolo podem ficar a parte, e se quiser dar alguma lembrancinha como bem casados ou algo parecido, pode-se colocar no mesmo espaço ou pedir para alguém de sua confiança (e que aguente a tentação de não abrir unzinho antes do fim da festa, rs) para distribui-los na saída, até porque no final de uma festa que tenha sido realmente divertida muitas vezes ficamos tão cansados que conseguimos até esquecer de pegar uma lembrança tão doce, rs. Se não quiser investir num DJ, vale a pena conseguir um bom aparelho de som ou muitas caixas de boa qualidade e fazer sets (isso é, sequências de músicas sem pausas, como tocam nas festas em geral) você mesma no seu computador, existem vários programas fáceis e grátis para isso, como o Audacity por exemplo. Grave num CD pen drive e deixe o som rolando até o final (mas se passar das 22:30 não se esqueça de abaixar um pouco, principalmente se estiver no apartamento! Avisar aos vizinhos do acontecimento e oferecer no dia seguinte doces ou bem casados como forma de agradecimento por aceitar o evento no prédio é uma ótima forma de se mostrar gentil e cordial, além de -possivelmente- conquistar a simpatia das pessoas para uma próxima festa! ;D)!




quinta-feira, 9 de maio de 2013

Beleza - Dicas de limpeza e review de sabonetes faciais para peles mistas ou oleosas


Hoje trago algumas dicas sobre limpeza facial diária, além de minhas impressões sobre três produtos que já usei em épocas diferentes por ao menos de 4 a 6 meses, cada um. Nossa pele é um dos nossos cartões de visita, então não custa nada dar uma pesquisada antes de comprar/usar um produto que será essencial no seu dia a dia, certo? ;)

Primeiramente, é importante salientar o quanto a simples higiene da pele mista ou oleosa (e que geralmente nesses casos tende a ser acneica) é tão importante. Não basta simplesmente jogar uma quantidade aleatória de produto no rosto e depois encharcar de água e achar que está tudo resolvido, é preciso muito mais, mas são coisas simples que você pode fazer rapidamente, trazendo benefícios e resultados aparentes!

Observe que a embalagem é grande para durar mais, sendo assim, não é preciso usar muito produto, por mais oleosa que sua pele esteja naquele momento. Usando uma quantidade equivalente a uma moeda de 10 centavos, você fará uma ótima limpeza e o frasco durará por até 5 meses (em média), até porque geralmente não se recomenda o uso por mais de duas vezes ao dia (dito pela maioria dos dermatologistas em todo mundo), assim evitando o ressecamento, que faz tão mal quanto poros entupidos.

Depois, basta espalhar bem em todo o rosto fazendo movimentos circulares, e lembre-se, nem todo produto tem composição química para fazer espuma, então não pense que sua pele está menos limpa por isso, o que realmente a fará limpa será a ação do mesmo em cada poro. O ponto para saber se aquele sabonete é o ideal para você é sentir se sua pele está com o toque seco, porém macia, talvez até com uma sensação de frescor (dependendo da composição). As vezes sentir um leve repuxamento pode ser normal, mas tudo isso é relativo, não sou dermatologista, apenas relato coisas que inclusive já ocorreram comigo, então, consulte SEMPRE o seu dermato, e lembre-se: Cada caso é um caso.

Minha pele é mista, isso é, oleosa na testa, nariz e queixo, e normal nas bochechas. Por isso, uso sempre produtos refrescantes e oil free, em gel ou loção, nada de cremes, só em casos específicos, como protetores solares para meu tipo de pele. Nos três casos abaixo, os usei entre 2010 e 2012, atualmente continuo com o L´Oreal Pure Zone, que é meu favorito e logo vocês entenderão o porque! Vamos aos reviews:

Caso 1 - Neutrogena Deep Clean Acne Wash


Com textura viscosa e cor de âmbar, tem um aroma agradável, porém sentia minha pele com um toque levemente oleoso quando a secava, parecia que por mais que enxaguasse o produto, ele deixava resíduos. Era uma sensação incômoda, além de tudo, não senti grande redução das espinhas e cravos. Nota 5,6









Caso 2 - Clean and Clear Sabonete e Adstringente Limpeza Profunda - Johnson & Johnson

Nesse caso, comprei casualmente os dois produtos numa promoção casada, então os experimentei simultaneamente desde o primeiro uso. Também de textura viscosa, cor de rosa claro e um aroma fresco, espalha bem e deixa um toque macio na pele, porém sentia em alguns momentos que era uma solução mais trivial pois poucos minutos depois de usá-lo sentia a oleosidade voltando a pele na menor transpiração. Minhas espinhas ficaram razoavelmente controladas fora da época de TPM ou de grandes períodos de calor (isso é calor = transpiração em excesso = poros entupidos), mas os cravos persistiram (Nessa mesma marca existe uma linha anti-cravos mas que ainda não tive a oportunidade de experimentar, pretendo em breve, assim como a linha "Morning Energy"). Já o adstringente é um pouco "ardido" num primeiro toque, mas tem um aroma doce e leve, e cumpre o que promete, principalmente na hora de ajudar a remover pequenos resíduos de maquiagem que ficam a volta dos olhos mesmo depois do removedor e da limpeza inicial. Nota 7

Caso 3 - L´Oreal Pure Zone (Passo 1)


Tchan-tchan-tchan-tchaan, agora é a hora da estrela! Textura meio viscosa, meio líquida, cor azul claro, aroma refrescante, próximo a menta ou algo do gênero, esse é na minha opinião o melhor sabonete líquido facial para peles mistas e oleosas (não, a L´Oreal não me pagou para isso, é espontâneo, rs), limpa profundamente, dando um toque refrescante após o enxágue, não deixa a pele seca e segura bem a oleosidade por algum tempo (segurar completamente só com vários outros produtos, vale lembrar). De preço acessível e fácil de achar (assim como os outros acima), é uma ótima escolha para quem procura uma opção próxima as fórmulas de marcas especializadas (Vichy, Cetaphil, La Roche Posay, etc), não substituí completamente a visita a um dermato, e nem anula a eficácia das outras marcas mais específicas do segmento dermatológico, mas ajuda muito, principalmente para acne graus 1 e 2 (isso é, as mais leves). Nota 10


Enfim, cada um vai achar para si mesmo o que é melhor, o que cai bem para sua pele e etc, mas nada que umas dicas não possam otimizar, se quiserem mandar opiniões, comentem por aqui ou no Facebook!

Beijos,


Fab